Uma cadeira que se auto destrói depois de 8 usos

DRM-Chair

Que conceito absolutamente e indubitavelmente genial! A DRM Chair (sigla para Digital Rights Management) permite que se faça um uso limitado seu, precisamente 8 sentadas, antes que ela se auto-destrua. Por que isso é genial?

[vimeo http://vimeo.com/60475086 w=490&h=330]

Porque ela abre uma nova perspectiva na discussão sobre a restrição de uso de determinados produtos, imposta pelo fabricante, depois que ele é vendido para o consumidor. Noutras palavras, você compra o produto, mas só pode usar algumas vezes. A primeira vez que eu vi isso foi quando comprei o jogo Starcraft II, na semana do lançamento em 2010, por um preço até razoável (se não me engano era uns R$79), para chegar em casa e então descobrir que aquele DVD tinha prazo de validade de 6 meses e que depois eu precisaria comprar uma nova licença de uso do jogo! Você acha que eu renovei a licença? Claro que não!

Só que no meu caso o problema foi com software, algo intangível, então a dor no coração não é tão forte, e por isso a DRM Chair é genial, porque o que se destrói é um objeto concreto, real, que você pode ver e sentir que não o possui mais. O número de usos da cadeira (8) foi escolhido só para que todos os participantes* do projeto pudessem sentar uma vez cada, e a cadeira emite um aviso sonoro, um certo número de vezes, avisando quantos usos ainda são permitidos, antes que se destrua** na frente dos olhos de todos.

Talvez assim as pessoas parem e pensem melhor (e discutam) sobre a restrição de uso do produto – eu, particularmente, acho ridículo, a partir do momento que você paga pelo produto (diferente de uma versão de avaliação, claro). No entanto, comprar música no iTunes ou livros no Kindle, por exemplo, não te torna dono dos produtos (só gera uma licença de uso), diferente de comprar um CD que você pode ouvir pro resto da vida… e é diferente de ter uma conta no Netflix, que não te faz dono dos filmes, mas dá liberdade de uso da biblioteca deles. É uma discussão complicada e da qual eu não concordo em muitos pontos, mas isso é texto para outro post.

* A DRM Chair foi criada por Thibault Brevet, em colaboração de Gianfranco Baechtold, Laurent Beirnaert, Pierre Bouvier, Raphaël Constantin, Lionel Dalmazzini, Edina Desboeufs, Arthur Desmet and Thomas Grogan.

** A auto-detruição dela é bem romântica, mas seria muito legal se ela explodisse!

Anúncios

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s